Arquivo

Archive for the ‘Soluções’ Category

Manutenção de PCs: desmistificando a BIOS

Excelente matéria do  Site:

Nunca fuçou em uma BIOS antes? Então está na hora de conferir o que há dentro de uma e de regular todas as suas opções. Não tenha medo e siga as nossas dicas!

Nós já trouxemos a vocês os artigos “O que é BIOS?” e "Conheça como é uma placa-mãe sem medo", nos quais abordamos diretamente o que é famosa e misteriosa BIOS, que assusta os usuários mais leigos e ainda é motivo de frustração para alguns que já lidaram com ela e com componentes de computadores diversas vezes na vida.

Como já mostramos como ela é por fora e como ela opera em relação ao funcionamento do sistema e de sua inicialização, hoje abordaremos algumas das opções mais comuns entre os diversos modelos que circulam pelo mercado, como, por exemplo, os ajustes de discos e componentes na inicialização, clock de processadores e memória (frequência defuncionamento) , chipsets integrados e até mesmo a ordem de boot (que é dúvida para muitos ainda).

Dizemos “os principais” porque existem diversos modelos no mercado e cada qual possui suas próprias características e menus, mas todas compartilham algumas opções e finalidades. Para este artigo foi utilizada como referência a BIOS da placa mãe ASUS P5W DH – Deluxe (sem atualizações), da American Megatrends.

Placa mãe utilizada

Recomendamos também que você, usuário, tenha muita atenção ao ler cada opção e tela, pois algumas delas podem impedir a inicialização do sistema ou até mesmo levar o seu processador à morte! Vamos lá!

Acessando a BIOS

A BIOS é acessível apenas nos instantes anteriores ao carregamento do sistema, o que significa que você precisa ficar ligado para pressionar o botão a tempo. A tecla de acesso varia de acordo com a versão e fabricante da BIOS, mas em geral são escolhidas:

•    DEL (Delete).
•    F2.
•    F12.

Para descobrir qual corresponde à sua, basta ficar de olho na mensagem mostrada logo na entrada, que contém também os comandos de depuração e de configuração de inicialização. Já dentro dela, os comandos para navegação são as setas direcionais, a tecla Enter para confirmação do campo, Esc para voltar, F1 para ajuda e F10 para salvar as modificações e sair. Novamente, consulte os comandos mostrados pela sua versão para ter certeza de que tudo está de acordo.

Dentro da Bios

Primeiro contato com a guia principal

É na primeira tela (dentro da guia Main, Principal) que ficam os ajustes básicos de hora e data, idioma de exibição e dos dispositivos de hardware, como os discos rígidos (tanto IDE quanto SATA), leitores de mídia e drives de disquete. Por aqui é conferido se o computador reconheceu o disco que você acabou de instalar. Confira a visão geral abaixo:

Tela principal da BIOS

Vale ressaltar que a hora e data podem ser ajustadas manualmente, bastando apenas entrar no campo com a tecla Enter e editá-las manualmente. Já os itens de hardware revelam outra tela com mais informações sobre eles quando acessados. Novamente, é possível desativá-los por completo (para que o sistema os ignore), configurar para detecção automática a cada inicialização ou ainda atribuir um status manualmente (como CD-ROM) para a entrada.

Este último método manual é útil para que o seu sistema não perca mais tempo durante a inicialização para localizar novamente os dispositivos que já estão instalados. Por outro lado, no modo automático você pode trocar de componentes ou ainda mudar a posição dos já existentes sem ter que se preocupar em refazer o arranjo dos itens.

Outra opção importante da guia principal é a IDE Configuration, ou configuração IDE. Aqui são definidos os tempos de espera do sistema para a detecção de dispositivos e o modo de operação dos discos rígidos. Quem utiliza sistemas anteriores ao Windows XP geralmente precisa mudar do Enhanced Mode para o Compatibility Mode, ou modo de compatibilidade em português.

Configurações de dispositivos IDE

Seguindo para a parte de baixo da tela, temos a opção System Information: pense nela como uma exibição dos dados do computador mais completa do que a vista pelo sistema (nas propriedades do Meu Computador), já que ela traz para você o tipo e modelo de processador (com a contagem de núcleos para os com dois ou mais) e também a memória total da máquina, seguida da quantia livre e da já ocupada por outros dispositivos, como placas de vídeo onboard por exemplo.

Guia Advanced

Ajustes Avançados de portas e dispositivos onboard

Seguindo adiante com a nossa descrição da BIOS, temos a guia Advanced. Note que a sua placa pode utilizar um termo diferente ou não ter algumas das opções demonstradas a seguir, já que elas dependem da presença de componentes onboard em sua grande maioria.

A primeira opção (retratada na imagem abaixo) serve para que os usuários mais avançados ajustem as configurações de alimentação e de velocidade do processador (para que a reduzam ou façam o famoso Overclock). Não recomendamos que você altere nada aqui, a menos que realmente saiba o que está fazendo.

Configurações de velocidade do processador

USB Configuration, por sua vez, leva o usuário aos ajustes das portas USB, envolvendo a quantidade delas que ficará ativa, o suporte para dispositivos mais antigos, o modo de funcionamento (para os padrões 2.0) e o máximo de velocidade permitida, entre os modos HiSpeed — que é geralmente padrão — e FullSpeed, que permite velocidades muito mais altas com dispositivos compatíveis.

Tela de configuração das portas USB

Retornando à tela principal da guia Advanced, temos ainda as configurações de processador — que revela dados de memória cache, virtualização e controles de temperatura, além de outras tecnologias individuais para cada processador e fabricante. Já PCI/Pnp se refere aos componentes Plug and Play e seu devido reconhecimento, sendo escolhido se será a BIOS ou o sistema operacional o encarregado pela detecção (procure deixar tudo como está, a menos que tenha problemas).

Mas a mais importante das opções aqui é a Onboard Devices Configuration. Nela você tem acesso a todos os componentes que estão integrados à placa mãe, tais como as placas de rede, de vídeo e de som, controladores 1394, SATA, PATA e portas seriais. Todos estes elementos podem ser ativados ou desativados de acordo com sua necessidade. Lembre-se que estas mudanças não são de forma alguma permanentes, bastando retornar a BIOS para as configurações padrão em caso de falhas.

Configurações de áudio

Os controladores de áudio geralmente possuem configurações de acordo com o sistema operacional (modos exclusivos para o Windows Vista) e com os painéis frontais, para áudio de alta definição. Caso seja instalada uma placa separada, é uma boa desligar a integrada para evitar conflitos e travas de sistema.

Guia Power

Energia para seus componentes!

Agora que você já ajustou direitinho todos os seus componentes onboard, é hora de verificarmos as configurações básicas de energia. Algumas das opções desta guia envolvem o método de hibernação (um que economiza mais e outro que faz a máquina voltar mais rápido) e por quais dispositivos o computador deve ser ligado (como teclado, modems externos, mouse e dispositivos PCI). Algumas placas podem até mesmo ser configuradas de modo a ligarem novamente em caso de queda de energia, assim que a distribuição for restabelecida.

Tela de gerenciamento de energia

Outra ferramenta frequentemente disponível pela guia de energia é a de monitoramento, que controla e mostra em tempo real dados como temperatura do processador, placa mãe e memória, tensão recebida nos componentes (útil para identificar problemas na rede elétrica) e velocidade de funcionamento das ventoinhas ligadas na placa e não no gabinete.

Guia Boot

Definindo a ordem da inicialização

Quem nunca passou por mensagens do tipo “Erro ao ler dispositivo”, “Erro de disco”, ou ainda por vezes em que o disco de instalação do Windows é colocado no drive e o computador não lê, passando batido para o sistema e impedindo você de consertar o sistema? O que ocorre é que os dispositivos não estão na ordem correta, mas a solução é simples e está aqui nesta guia.

Prioridade de dispositivos

Entrando nela, você define a prioridade entre seus discos rígidos, drives de CD/DVD e dispositivos removíveis. Para evitar dores de cabeça e erros, recomendamos que você deixe a leitura na seguinte ordem:

•    Drive leitor de CD/DVD.
•    Disco rígido com o sistema operacional primário.
•    Disco rígido com o sistema operacional secundário ou com dados (caso exista).
•    Outros dispositivos.

Assim a cada vez em que for ligado o seu computador procurará por discos de instalação, depois (caso não encontre) pulará direto para a inicialização do sistema operacional padrão. Outra coisa: em algumas BIOS, assim como na que está sendo utilizada, você define a ordem dos tipos de dispositivos e depois — em outra opção — a ordem do grupo, como qual disco rígido será lido primeiro dentre todos os presentes no computador, por exemplo.

Ajustess

Agora que você já sabe como configurar a inicialização, vamos para a opção Boot Settings Configuration. Nela você ativa ou desativa funções como a imagem que é mostrada quando o computador é ligado, bem como suporte para mouse e também os avisos para erros de leitura do teclado. Recomendamos que as configurações padrão sejam mantidas para que você perceba quando qualquer erro acontece.

Algumas BIOS ainda oferecem mais uma opção de segurança. Por ela o usuário pode atribuir uma senha de acesso para o computador, independente de sistema operacional, o que significa que a máquina só poderá ser iniciada com ela. Muita atenção: não há como recuperá-la em caso de perda. A melhor solução é retirar a bateria (da placa mãe) por alguns instantes, mas não recomendamos, pois todas as configurações serão perdidas junto.

Configuração de senha

Guia Exit

Finalizando e salvando as modificações

Que trabalheira não? Depois de fuçar em tudo, a última coisa que você quer é perder tudo, portanto muito cuidado ao sair da BIOS. Para salvar adequadamente as alterações, selecione a opção Exit & Save Changes, como mostrado abaixo:

Salvando as configurações

As demais opções desta tela servem para descartar e sair da tela, apenas descartar as alterações ou ainda carregar as configurações de fábrica (o que é muito útil caso algo dê errado).

Não tenha medo de explorar as telas e de se informar, afinal a BIOS também é parte de seu computador e você deve conhecê-la para tirar o máximo proveito dos recursos da máquina. Até a próxima!

Fonte: http://www.baixaki.com.br/info/2479-Manutencao-de-PCs-desmistificando-a-BIOS.htm
Sexta-Feira 24 de Julho de 2009

Categorias:Dicas, Segurança, Soluções

Desativar tela de abertura nos PortableApps

fevereiro 24, 2011 Deixe um comentário

Como desativar tela de abertura nos aplicativos portáteis.

Aplicativos Portáteis (ou PortableApps) são programas de computador que rodam diretamente do pendrive, em diversos computadores diferentes, sem perder as configurações, sem necessidade de instalação e sem afetar em nada a instalação do Windows.

Os mais conhecidos são fornecidos gratuitamente pelo site PortableApps. Estes tem uma tela de abertura, que algumas pessoas (eu incluso) podem achar um pouco inconveniente. Esta tela (também conhecida por Splash Screen) é o que diferencia, pelo menos aparentemente, os aplicativos portáteis, dos aplicativos instalados da maneira tradicional.
Quando possível, eu prefiro rodar aplicativos portáteis ao invés de instalá-los no meu computador. É ótimo para testar novos programas até ter certeza se vale a pena utilizá-los, para facilitar rotinas de backup, migrações entre computadores, entre vários outros motivos.
Se você também adora os aplicativos portáteis , mas não gosta daquela tela de abertura chata, seus problemas acabaram. Pois você pode desabilitar a SplashScreen dos PortableApps e viver feliz para sempre!
Para desativar a exibição da tela de abertura nos aplicativos portáteis, faça o seguinte: Depois do aplicativo instalado, navegue até a pasta \Portable\Other\Source e localize o arquivo que tem exatamente o mesmo nome do arquivo executável do aplicativo portátil, porém com a extensão .INI. Ex: Notepad++Portable.ini:

Disable PortableApps Splash Screen
Localize o arquivo equivalente no seu aplicativo portátil.

Abra o arquivo equivalente do seu aplicativo portátil no bloco de notas, localize a seguinte linha e altere conforme o exemplo abaixo:

DisableSplashScreen=true

Depois de salvar as alterações feitas no arquivo .INI, copie-o para a raiz do aplicativo portátil, junto ao executável principal e está pronto!

Disable PortableApps Splash Screen
Salve uma cópia do arquivo de configuração junto ao executável.

Agora, a tela de abertura não será mais exibida ao abrir o aplicativo, seja diretamente do pendrive, ou copiado para alguma pasta no HD do próprio computador…

Leia mais: Compulsivo

1 em cada 8 ataques de malwares é feito através da porta USB

novembro 5, 2010 Deixe um comentário

 

 

A Avast publicou uma postagem alertando aos usuários de PCs sobre o número crescente de ataques de malwares que se focam em dispositivos USB e no recurso "AutoRun" do Windows. Durante a última semana de outubro, a empresa de segurança registrou 700 mil ataques em computadores que enviaram voluntariamente os dados, e um de cada 8 (13,5%) veio através da porta USB.

O "AutoRun" ou "AutoExecutar" é uma ferramenta prática, mas é também uma forma muito comum de propagação de quase dois terços dos atuais malwares. Os desenvolvedores destes tipos de programas se aproveitam da inclinação natural das pessoas de compartilharem arquivos com familiares, amigos e colegas de trabalho através dos pendrives e outros dispositivos USB, já que este padrão oferece comodidade e praticidade em celulares, câmeras digitais, reprodutores de música, etc.

A empresa afirma ainda que seu software anti-vírus conseguiu combater 84% dos ataques relacionados ao AutoRun via USB, através da proteção residente, enquanto os 16% restantes foram detectados através de verificações completas. Contudo, a Avast lembra que a taxa de detecção pode cair conforme a capacidade do dispositivo a ser verificado aumente.

Para evitar este tipo de problema, os passos são os mesmos de sempre: desative o AutoRun, atualize sempre o anti-vírus, faça uma verificação no pendrive antes de abri-lo, e não ligue o PC com o pendrive espetado.

Fonte:guiadohardware.net

Categorias:Segurança, Soluções

Como desabilitar o autorun do Vista e XP

novembro 5, 2010 Deixe um comentário

 

Quase todos os PCs públicos (faculdade, lan house, trabalho) possuem algum tipo de vírus. Se  você utiliza algum e não quer infectar o seu computador , desabilite  a “reprodução automática” do seu Windows Vista e XP ( No Windows 7 não tem esse problema).

No Windows Vista, clique no Botão Iniciar > Painel de Controle > Hardwares e Sons. Em seguida, clique na opção “Reproduzir CDs ou outra mídia automaticamente” e desabilite a opção “Usar Reprodução Automática em todas as mídias e dispositivos”.

No Windows XP  clique no botão Iniciar > Executar > digite gpedit.msc. Na janela que abrir, vá em “Configurações do usuário” > “Modelos administrativos” > “Desabilitar auto-reprodução”, escolha a opção “Ativar” e selecione “todos os drives”.

Fonte:saibatudo.net

Categorias:Segurança, Soluções

Copie os resultados do DOS sem recursos extras

setembro 12, 2010 Deixe um comentário

Usuários avançados podem ter resultados de comandos sempre à mão

Se você usa o prompt de comando do Windows – a imitação de DOS que faz parte do sistema operacional – sabe como é chato copiar os resultados dos comandos para análises posteriores. Mas você sabia que o próprio DOS faz isso? Aprenda como neste videotutorial.

 

 

Fonte:Baboo

Categorias:Dicas, Soluções, Windows 7

Detector de movimentos no seu PC

setembro 12, 2010 Deixe um comentário

Software usa webcams da Logitech para enviar alertas

Se você quer segurança em seu PC, que tal colocar um detector doméstico de movimentos? Isto é totalmente possível com o software gratuito YawCam, compatível com as versões mais recentes do Windows e exigindo a instalação da máquina virtual Java da Sun e uma webcam da Logitech.

01. Primeiramente escolha sua câmera dentro do YawCam, apontado para Settings > Device > Change to.

02. Agora ligue o detector de movimentos ativando o botão Enable referente a Motion.

03. Para que a detecção funcione, faça as configurações necessárias indo em Windows > Motion detection.

04a. Guia Motion Events: Se a detecção está ligada, nesta guia você tem acesso a todas as fotos tiradas que provam que houve movimentação num dado horário.

04b. Guia Settings: Nesta guia, você pode definir se a imagem inteira pega pela webcam ou apenas uma parte dela será vigiada (Motion Detection in), o nível de detecção (Detection level) e a cor usada como base para detectar mudanças no vídeo (Mark Color).

04c. Guia Actions: Nesta guia, você pode definir que ações o YawCam tomará quando algum movimento for detectado. Para que o software funcione como um detector a distância, vamos configurá-lo para enviar e-mails, marcando Send E-mail e clicando no respectivo botão Settings….

05. Preencha os campos necessários e as informações do servidor SMTP de seu e-mail (SMTP Server) Na foto abaixo, estão as configurações para o servidor SMTP do Gmail. Para anexar imagens da detecção no e-mail, marque Attach Image e configure a qualidade das mesmas (Image options) e o controle de envio repetido (Flood control).

06. Veja a imagem do Gmail recebendo uma mensagem de detecção de movimentos – a imagem foi alterada para preservar o anonimato do usuário.

Faça o download deste tutorial em PDF

Fonte:Baboo

Imprima na fonte Century Gothic para economizar tinta

 

Procurando formas de economizar dinheiro em cartuchos de toner, um professor da Universidade de Wisconsin, Green Bay sugeriu a Ecofont para o departamento de TI da universidade. E o departamento descobriu uma solução ainda mais simples: usar a fonte Century Gothic, que muita gente já tem.

Pequenas mudanças na quantidade de tinta usada para imprimir cada caractere pesam quando se imprime bastante — seja nos custos de cartuchos para sua jato de tinta ou nos custos de quase 100.000 dólares em cartuchos de toner. A Century Gothic usa 30% a menos de tinta que a fonte geralmente usada, a Arial, mas há um pequeno trade-off no consumo de papel.

Mark Simonson mora em Minnesota e é tipógrafo e desenvolvedor de fontes. Ele diz que a Century Gothic é uma boa escolha em geral porque tem uma linha de impressão mais fina, mas ele diz que as letras podem ser um pouco mais largas.

Sr. Mark Simonson (tipógrafo): Ela também fica um pouco mais larga. Então ela poderia na verdade ocupar mais espaço. Então, às vezes, você pode precisar de mais papel para impressão se [trocar a fonte] empurrar o documento para mais uma página.

O blog Printer.com já havia calculado o custo de impressão para dez diferentes fontes, em um cenário doméstico e um cenário empresarial. A conclusão? Com a Century Gothic e a Ecofont, você gasta bem menos que imprimindo em Arial. Mas você também gasta menos imprimindo em Times New Roman ou em Calibri (fonte padrão no Office 2007) — então, dependendo do caso, pode ser desnecessário trocar de fonte para impressão.

Mudar a fonte padrão de impressão é algo que você pode fazer no Windows, Mac e Linux, mas você precisa procurar no seu programa — navegador, editor de texto etc. — para ver se você pode tornar permanente a opção de usar certa fonte para impressão

Fonte: gizmodo.com.br

Categorias:Dicas, Notícias, Soluções